Gibraltar – um dia para uma visita britânica

Fui de férias para a Andaluzia e não consegui deixar de visitar Gibraltar. Já no sul de Espanha, na região de Marbelha, procurei informações sobre este território britânico localizado no sul da Península Ibérica. Mas, pouco ou nada de relevante me apareceu. Se por um lado uns guias on-line me davam a indicação que era dificílimo entrar na região de carro, outros davam conta que os automóveis circulavam em sentido contrário ao português ou espanhol. Mitos e poucas verdades, que eu fui por minha conta descobrir.

Localização de Gibraltar na Península Ibérica
Localização de Gibraltar na Península Ibérica

Saímos cedo com o receio de encontrarmos gigantescas filas de trânsito para entrar em Gibraltar. Na cidade que antecede, La Línea de la Concepcíon começamos a perceber que o fluxo de trânsito era tendencialmente para o território britânico. As filas na entrada da fronteira cresciam a cada minuto. Cruzamos a border após alguns segundos de conversa e com a mostra dos passaportes ou documentos de identificação (sem isso é impossível entrar). A poucos metros entramos numa das avenidas principais, a Winston Churchill Ave que cruza por completo a pista do Aeroporto Internacional de Gibraltar. Curioso é que no regresso tivemos alguns minutos parados para que um avião pudesse aterrar na pista. Sim. A estrada de entrada em Gibraltar atravessa a pista!

Pista do Aeroporto Internacional de Gibraltar
Pista do Aeroporto Internacional de Gibraltar

O território propriamente dito não é muito grande. Tem cerca 30 mil habitantes distribuídos por 6.8 quilómetros quadrados o que corresponde ao tamanho de várias vilas do norte de Portugal.

Antes de estacionarmos num parque de estacionamento percorremos a zona de costa a costa. Seguimos pelas ruas mais próximas à marina e ao porto banhado pela Bahia de Algeciras. Na Europa Road, uma das estradas principais, seguimos até ao ponto mais a sul da península de Gibraltar onde se encontra o European View Point e mais alguns pontos de interesse de paragem obrigatória. Como é o caso da Mesquita Ibrahim-al-Ibrahim oferecida pelo Rei da Arábia Saudita na década de 90.

Parte sul de Gibraltar
Parte sul de Gibraltar
Ponto Welcome to Europa Point
Ponto Welcome to Europa Point

O nevoeiro teimava em não levantar. Queríamos subir à montanha. A principal atração turística de Gibraltar “The Rock of Gibraltar” é coberta na maioria por uma reserva natural e tem a parte mais alta a 400 metros de altura. Nesta zona habitam algumas centenas de macacos. Os únicos selvagens presentes em território europeu.

Verificamos junto de um popular que a possibilidade de chegar ao topo por carro é totalmente proibida, por isso, qualquer tentativa privada de subir à zona montanhosa de Gibraltar era escusada. Podíamos tentar o Cable Car (teleférico) ou um transporte público, mas as informações na zona envolvente eram poucas ou nenhumas. E mesmo com essa investida, naquele dia não iríamos avistar os famosos macacos nem tão pouco visualizar o território africano no horizonte. Seguimos de carro pelos túneis do interior da montanha em direção à parte norte de Gibraltar.

O centro de Gibraltar

Na Rua Principal (Main Street) pudemos visitar várias lojas de comercio local. Aqui estão patentes as principais lojas que encontramos em Inglaterra e até um supermercado Marks & Spencer visitamos para comprar o lanche (britânico). Percebemos rapidamente que Gibraltar é procurado pelos preços baixos. Quase todas as lojas tinham explicito na porta preços especiais para turistas de um barco cruzeiro que tinha atracado no Porto Marítimo nesse mesmo dia. Os preços são competitivos. Os impostos serão certamente mais baixos. Os cigarros e as bebidas alcoólicas são sem duvida um forte chamariz para quem deseja levar alguns recuerdos e poupar vários euros (atenção aos limites alfandegários). Nas compras que fizemos facilmente percebemos que nos artigos adquiridos estávamos a poupar cerca 40%. O pagamento pode ser efetuado em euros, mas é importante ter em atenção o cálculo do cambio (Libras para Euros), pois varia de loja para loja. Já nas máquinas de pagamento automático (por exemplo a do parque de estacionamento) o câmbio foi louco e perdemos cerca de 7 euros.

As ruas são tipicamente britânicas. Os sinais e a construção são iguais aos do Reino Unido. E é possível encontrar muitos britânicos estabelecidos em Gibraltar. Os carros e as estradas ao contrário do que tinha lido tem o volante e a circulação igual à de Portugal. Há várias décadas que é assim.

Café típico do Reino Unido
Café típico do Reino Unido

Apesar da nossa curta passagem por Gibraltar achamos que é sem dúvida um local a visitar pelos pontos de interesse, mas também pelas compras que se podem realizar.

Atestamos o depósito de combustível a 82 cêntimos por litro, atravessamos uma vez mais a pista do aeroporto e esperamos cerca de 20 minutos no trânsito para deixar Gibraltar.

Até um dia.

Nota: Visita realizada em Agosto de 2016.

Imagem principal por: Gibraltar Tourism Board.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *